Espetáculo baiano Entre Linhas, da dançarina Jaqueline Elesbão, que esteve em cartaz no Itaú Cultural em agosto do ano passado

Depois de quase um mês da suspensão das agendas e do fechamento de teatros e espaços culturais por conta da pandemia do coronavírus, o Itaú Cultural lança uma série de editais de emergência que visam abrir espaço e destinar recursos a artistas de todo o país.

A ação, intitulada Arte Como Respiro, conta com três editais para trabalhos das áreas de cênicas, música e artes visuais que possam ser compartilhados nas redes sociais. O primeiro edital, voltado para o circo, dança e teatro, abriu inscrições ontem e segue recebendo propostas até sexta-feira (10) através desse link https://itaucultural.formstack.com/forms/artecomorespiro.

É possível enviar propostas de trabalhos em duas condições. A primeira inclui aqueles produzidos no período da quarentena, em que o proponente poderá propor uma apresentação em tempo real ou enviar o trabalho já gravado em vídeo, desde que realizado nesta condição de recolhimento. A segunda volta-se para um espetáculo cênico completo apresentado em material audiovisual gravado antes da quarentena, desde que seja ajustado ao momento atual, com uma intervenção gerada no momento de isolamento.

“É importante ressaltar que não estamos buscando um ranking de super produções e, sim, formas de acolhimento para quem não tem condições de produção nesta situação”, explica Galiana Brasil , gerente do Núcleo de Artes cênicas da instituição. Para ela, do ponto de vista da curadoria, não haverá disputa entre as duas formas de expressão, apesar de a instituição entender que o nível de exposição e de conexão com o momento atual é maior para quem está fazendo produções na quarentena, e isso será revelado no maior número de propostas aceitas. 

“É uma forma também de acolher um recorte de grupos e artistas que não está conseguindo lidar com essa instância do fazer de casa, uma vez que aceitamos materiais audiovisuais produzidos antes da situação do isolamento”, observa ela.

No total, serão selecionados 120 projetos – até 90 no eixo “trabalhos produzidos na quarentena” e até 30 no eixo “espetáculo cênico completo já gravado” – considerando critérios poéticos, apuro técnico, capacidade de realização e maior possibilidade de recepção de públicos. Todos receberão valores de até R$ 10 mil como remuneração pelo licenciamento dos direitos autorais do trabalho. Os selecionados serão informados por e-mail no dia 25.

“Em meio a esta pandemia que afeta a todos nós, cada setor precisa estar ainda mais junto para buscar soluções ou formas de diminuirmos o impacto negativo deste momento”, observa Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural.

Os trabalhos serão apresentados ao público dentro do prazo de até dois meses, podendo ser alterado diante do quadro social referente à pandemia ou de necessidades da própria organização. Ficará a critério da instituição se a exibição será realizada em sua grade de programação virtual ou por meio dos canais e mídias dos próprios artistas.

“Acreditamos que as instituições que têm condições semelhantes a nós, possam desenvolver programas e ações para oferecer mais imaginação e criatividade, em circunstâncias tão difíceis para a população, e, ao mesmo tempo, garantir algum apoio para a economia da cultura”, completa Saron.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui