As prefeituras de Cachoeira e Mata do São João anunciaram nesta quarta-feira (8) o cancelamento de todos os demais festejos juninos previstos para 2020. Os informes foram feito através da Secretaria de Cultura e Turismo.

De acordo com a gestão municipal de Cachoeira, a decisão foi tomada porque Cachoeira deve priorizar, neste momento, o enfrentamento ao novo coronavírus. Além disso, há uma recomendação feita pelo Tribunal de Contas dos Municípios, de 3 de abril, que considera o cenário atual de pandemia da doença e orienta para a intensificação das ações para impedir o avanço do número de infectados.      

Já oa prefeitura de Mata do São João disse que o prefeito Marcelo Oliveira já havia cancelado todas as festas de padroeiro do município do primeiro semestre, além as comemorações do aniversário da cidade, que ocorreriam na primeira quinzena de abril.

“A gestão municipal entende que no momento difícil de uma grave crise de saúde mundial não há espaços para festa e que as pessoas precisam ficar em casa para se protegerem. Mata de São João está concentrando todos os esforços na prevenção e no planejamento de combate à doença”, disse a gestão através de comunicado.

“Reconhecemos a importância cultural e econômica do nosso São João, mas infelizmente Mata, a Bahia e o Brasil passam por um dos momentos mais delicados de suas histórias. Embora em nosso município não tenha registrado nenhum caso de covid-19, estamos tomando todas as medidas de proteção, para as pessoas não se infectarem e o vírus não se espalhar”, explica o prefeito.

O São João de Mata é um dos principais eventos do calendário cultural local. As principais festas são em Praia do Forte, Imbassaí e Malhadas.

“Não há clima para festa. As pessoas precisam se proteger e todos os esforços da Prefeitura hoje são nesse sentido. De evitar que as pessoas saiam de casa e se aglomerem. Estamos preparando todo o sistema de saúde, investindo em em estruturas, equipamentos e profissionais, para atender as pessoas, caso a pandemia chegue ao município. Portanto, nossa prioridade hoje é proteger a vida e a saúde das pessoas”, afirma Oliveira.

Com os cancelamenos em Cachoeira e Mata de São João, a Bahia já tem 14 cidades com calendário suspenso. Os primeiros municípios a suspenderem os festejos, Conceição do Almeida e Vitória da Conquista fizeram seus anúncios no mês passado. Nesta segunda-feira (6), outras 10 cidades assinaram um termo conjunto de não realização dos seus eventos. 

São elas: Amargosa, Ibicuí, Senhor do Bonfim, Irecê, Miguel Calmon, Seabra, Itaberaba, Piritiba, Cruz das Almas, Santo Antônio de Jesus, Conceição do Almeida e Vitória da Conquista.  

Prefeito de Ibicuí, Marcos Galvão (PSD) falou ao CORREIO que os gestores destas cidades resolveram se unir quando viram a necessidade de tomar uma decisão sobre o assunto, já que as festas costumam ser realizadas em junho, portanto, daqui a pouco mais de dois meses. 

“Tínhamos que tomar uma decisão em conjunto. Por ser uma decisão controversa, já que existem pessoas que discordam [da não realização], nós criamos um grupo no WhatsApp e fomos amadurecendo até chegarmos no acordo de assinar o documento e anunciar em conjunto o cancelamento”, explicou Galvão.

Para embasar a medida, os prefeitos consideraram as recomendações do Ministério da Saúde quanto à necessidade de se manter o isolamento social até que a pandemia esteja sob controle.

Além disso, os gestores levaram em conta o alerta sobre o pico de casos de contaminação na Bahia, previsto para o mês de maio e junho, assim como o decreto de estado de emergência no estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui