Prefeito ACM Neto, vice Bruno Reis e titular da Semob, Fábio Mota, anunciaram as medidas para o setor de transportes de Salvador

Devido a pandemia da covid-19, doença causada pela proliferação do novo coronavírus, Salvador precisou adotar medidas restritivas de mobilidade urbana, que vão de suspensão de atividades escolares ao funcionamento do comércio de rua. As restrições impactaram diretamente no trafego de passageiros nos transportes públicos da cidade. Segundo a própria prefeitura, houve uma redução de 70% no número de passageiros durante esse período.

Pensando em garantir a saúde financeira das empresas de transporte da capital e, consequentemente, a manutenção dos empregos dos rodoviários, a prefeitura anunciou nesta quarta-feira (8) que comprou R$ 5 milhões em créditos de passagem do transporte junto às empresas que administram o transporte público de Salvador.

Os créditos serão utilizados futuramente pela Secretaria de Promoção Social e Combate à Pobreza (Sempre) em uma ação social a ser definida pela pasta. Neto avaliou a iniciativa da prefeitura como uma maneira de evitar o colapso no sistema de transportes e resguardar os empregos dos rodoviários.

“Há algum tempo, o sistema de transporte público, principalmente dos ônibus, no Brasil, vive numa crise. As empresas, em geral, têm muita dificuldade de contratar empréstimos com os bancos. Agora com a crise, é impossível isso acontecer. Não se pode imaginar que o Brasil vai voltar a funcionar e deixar as empresas de serviços essenciais, como as de transportes, quebrarem. Salvador entrou nessa crise com as contas arrumadas, com volume grande de investimentos na cidade. Por isso, vamos entrar com esse esforço de tentativa de evitar o colapso no sistema de transporte”, explicou o prefeito, que detalhou como o valor deverá ser utilizado pelas empresas.  

“A minha preocupação é com a preservação dos empregos. Nós pretendemos manter os empregos dos rodoviários como um todo. É um primeiro esforço essencial para a ampliação do faturamento das empresas para conseguir pagar o que está acertado com os rodoviários e garantia do combustível para continuar funcionando. É um dinheiro fundamental para que o sistema de transporte não pare de uma vez por todas na capital”, concluiu Neto.

Ao CORREIO, o Sindicato dos Rodoviários, por meio de assessoria de comunicação, elogiou a atitude da prefeitura em subsidiar recursos às empresas visando a garantia dos empregos e a manutenção dos postos de trabalho dos funcionários.

“É uma atitude louvável porque a garantia dos empregos e a manutenção dos postos de trabalho é uma titude que tem que ser valorizada. Toda medida que visa preservar os empregos, a garantia da renda para o trablhador, a gente reconhece e entende que é algo primordial”. 

Já o consórcio Integra, por meio de nota, respondeu que “o isolamento social necessário devido à pandemia do novo coronavírus atingiu gravemente o sistema de transporte público de passageiros em todo o país. A Prefeitura de Salvador e a Integra estão trabalhando diuturnamente, em conjunto, para viabilizar a continuidade dos serviços para a população de Salvador, neste momento em que toda a sociedade se mobiliza.”

*Com supervisão da chefe de reportagem Perla Ribeiro

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui