Dos 69 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) disponibilizados para apcientes com covid-19 no Amazonas, 63 já estão ocupado, restando seis vagas na rede pública para novos casos, segundo o governo. O estado tem 899 casos confirmados do novo coronavírus, com 40 mortes. Todos os pacientes que estão na UTI são considerados em estado grave.

Na última sexta-feira (3), o fovernador Wilson Lima alertou para o risco de colapso na saúde. Mas, segundo um funcionário do Hospital Delphina Aziz, unidade de referência para coronavírus no estado, o colapso já chegou lá. Ele contou à Folha de S. Paulo a unidade já perdeu a capacidade de atender aos pacientes que chegam em estado grave. A família de uma idosa foi orientada a levá-la para casa para se despedir. A UTI só teve novas vagas após dois óbitos.

O Amazonas é uma das cinco unidades da federação que já dão incídios de que estão indo da fase de aceleração para a descontrolada no combate à doença. Os outos são São Paulo, Rio, Distrito Federal e o Ceará.

“Dois hospitais da rede privada já nos comunicaram que já estão no seu limite, ou seja, não conseguem mais internar paciente com Covid, e cogitam transferir alguns pacientes para o Delphina Aziz. (…) Hoje estamos com 55% dos respiradores em uso, mas no ritmo em que as coisas caminham, há um risco de o sistema colapsar”, afirmou governador, quando anida eram 260 casos confirmados no estado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui