O Ministério da Saúde anunciou na noite desta quinta-feira (9) a chegada de um carregamento com um milhão de testes rápidos para o novo coronavírus. Além dos testes, o lote contém um milhão de máscaras e 2.250 óculos de proteção.

A carga chegou em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) e é uma das remessas de um total de 15,8 milhões de Equipamentos de Proteção Individual (EPI´s) e cinco milhões de teste rápidos doados pela empresa brasileira Vale.

Da quantidade de testes já recebidos pelo governo federal, 570 mil serão distribuídos pelos estados, enquanto 180 mil deles vão para pesquisas. Os outros 247 mil ficarão em um estoque do Ministério da Saúde, que pretende usá-lo de forma estratégica. 

Os estados receberão os lotes com os testes e deverão atender as demandas dos profissionais que trabalham nos serviços de saúde e outras áreas essenciais. A ideia é que esses trabalhadores sejam testados após setes dias de início dos sintomas respiratórios, ficando pronto em 20 minutos. 

Isso permite que os profissionais que testam negativo possam voltar de forma rápida ao trabalho, sem a necessidade de ficar 14 dias em isolamento para concluir que não está infectado. Segundo o Ministério, esse é um teste qualitativo para triagem e deve ser usado como uma ferramenta para auxílio no diagnóstico da COVID-19.

Já o modelo de teste RT-PCR, que identifica o vírus que provoca a COVID-19 logo no início dos sintomas, ou seja, no período em que ainda está agindo no organismo, teve 451,4 mil unidades distribuídas aos Laboratórios Centrais de Saúde Pública (LACEN) de todo o país. A quantidade foi doada Oswaldo Cruz – Fiocruz, Instituto de Biologia Molecular do Paraná – IBMP e pela Petrobras.

O primeiro lote recebido pelo país, com 500 mil testes, já havia sido distribuído pelo Ministério da Saúde, no dia 30 de março. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui