Um aplicativo para ajudar o consumidor a fugir de preços abusivos e da especulação envolvendo produtos de alta procura durante a pandemia do coronavírus foi lançado pelo Governo do Estado nesta sexta-feira (10). Através do Preço da Hora Bahia, os cidadãos baianos terão cotações de mais de seis milhões de produtos em tempo real. Para fazer a cotação, o sistema toma como base cerca de 3,2 milhões de notas fiscais eletrônicas processadas todos os dias no Estado.

O usuário precisa aproximar o código de barras impresso na embalagem da câmera do celular ou digitar o nome do produto desejado para que o aplicativo forneça as cotações. No celular ou na tela do computador, já que o Preço da Hora Bahia também conta com um site, é possível comparar, por exemplo, os preços de itens hoje difíceis de encontrar, como álcool em gel, máscaras e luvas, em meio a seis milhões de produtos comercializados diariamente em toda a Bahia. 

O Preço da Hora Bahia abrange todos os produtos vendidos no varejo, com destaque especial para combustíveis e medicamentos. Solicitada a pesquisa, o aplicativo irá apresentar os preços de venda do produto nas últimas horas, na região em que está o consumidor, utilizando a localização do seu celular. 

Ao receber a relação de preços e locais onde eles estão sendo praticados, o consumidor terá na tela informações sobre quando foi realizada a última venda, telefone e rota para chegar ao estabelecimento. É possível, ainda, acessar um gráfico com o histórico de preços do produto. 

De acordo com o secretário da Fazenda do Estado, Manoel Vitório, estas informações têm como fonte exclusiva as notas fiscais armazenadas na Sefaz-Ba, “o que reforça a importância de se pedir a nota fiscal em todas as compras”. 
  
As informações são fornecidas pelas cerca de 180 mil empresas presentes nos 417 municípios da Bahia, ao emitirem a Nota Fiscal do Consumidor Eletrônica (NFC-e) ou a Nota Fiscal Eletrônica (NF-e). Diariamente, são mais de 3,2 milhões de notas fiscais processadas pela Sefaz-Ba, com picos superiores a 4,4 milhões. Só em Salvador são emitidas mais de 1,2 milhão notas fiscais eletrônicas todos os dias. O Interior, por outro lado, responde por 68% do total de produtos comercializados no varejo.

O diretor de Produção de Informações da Sefaz-Ba, Jadson Bitencourt, esclarece que os preços são obtidos das informações de notas já emitidas, e que o estabelecimento não é obrigado a garantir um preço que tenha sido praticado em promoção ou situações como vendas a usuários fidelizados, descontos por pagamento à vista, promoções-relâmpago, entre outras. O Preço da Hora Bahia exibe o preço praticado e o eventual desconto concedido. Por esta razão, principalmente quando encontrar preços muito menores que os de costume, o consumidor deve ligar para a loja e confirmar se o preço permanece o mesmo. Isto pode ser feito diretamente do aplicativo, que exibe o telefone informado pelo estabelecimento na nota fiscal.

O Preço da Hora Bahia baseia-se em uma solução desenvolvida pelo governo da Paraíba em parceria com o Tribunal de Contas do Estado  (TCE-Pb), cedida para a Bahia como parte da política de intercâmbio de boas práticas entre os estados no âmbito do  Consórcio Nordeste, presidido pelo governador Rui Costa. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui