A prefeitura municipal de Cordeiros, no Sul da Bahia, determinou que os cidadãos que viajarem para Vitória da Conquista — que fica a 160 Km de lá — deverão fazer isolamento obrigatório de 14 dias. De acordo com o prefeito, Delci Luz (PSD), a medida visa evitar a chegada do coronavírus na pequena cidade de cerca de 8 mil habitantes. “Estamos tentando de todas as formas nos proteger”, explicou o gestor.

De acordo com o prefeito, a cidade notificou cinco casos suspeitos de covid-19, todos descartados pelo Laboratório Central (Lacen) e um segue em investigação. Embora não tenha ocorrência confirmada, preocupa o fluxo entre as cidades de Piripá, que já tem um caso e fica a 40 Km de lá, e também de Vitória da Conquista, que tem 12 infectados. Para controlar essa circulação, a prefeitura adotou barreiras com medição de temperatura na entrada da cidade, cortada pela BA-148.

(Foto: Divulgação)

Além da medição, com o suporte da Guarda Municipal e das polícias Civil e Militar, o serviço de vigilância sanitária da Secretaria Municipal de Saúde realiza entrevistas aos viajantes para saber de onde vêm e o endereço de destino. Conforme o gestor, quem vem de Conquista é notificado a ficar em casa. Até o momento, duas pessoas já estão fazendo a quarentena de 14 dias e, se por acaso alguém descumprir o isolamento, será solicitado o apoio da polícia e há previsão de multa. O valor não foi informado.

Com o transporte rodoviário suspenso, a principal preocupação da administração é com os veículos e vans que abastecem o comércio de Cordeiros. Segundo o prefeito, o transporte alternativo já não leva mais passageiros, mas segue trabalhando com encomendas vindas de Vitória da Conquista. “Estamos orientando as pessoas que trabalham no abastecimento local para que não desçam dos veículos na cidade e estamos limpando os pneus dos carros”, conta o prefeito. A prefeitura pretende fazer uma reunião na próxima segunda-feira (13) para decidir como o serviço deverá funcionar.

Há uma semana, a prefeitura havia determinado a suspensão do comércio na cidade, mas mudou de ideia e reabriu. “Elaboramos uma cartilha de boas práticas, conversamos com os comerciantes para adotarem as medidas. Eles têm que fornecer kit de higienização e sinalização de espaçamento seguro entre clientes e funcionários”, explicou Delci. 

Sem baralho e sem sinuca
Apesar de abertos, alguns estabelecimentos têm restrições de funcionamento. Os bares, por exemplo, só têm permissão para abrir das 8h às 17h, sem aglomerações e são proibidos os jogos de baralho e sinuca. Os locais são monitorados por rondas da Polícia Militar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui