Jogadores e funcionários do Vitória estão de férias neste mês de abril

Em 51 dias, o torcedor do Vitória viu dentro das quatro linhas a performance de mais de dois times. De 25 de janeiro, data da estreia rubro-negra na temporada, a 15 de março, quando a equipe entrou em campo pela última vez antes da paralisação dos campeonatos por causa da pandemia de coronavírus, o técnico Geninho escalou 25 jogadores, em 10 jogos disputados pelo elenco principal, responsável por representar o clube na Copa do Nordeste e Copa do Brasil. O Campeonato Baiano vinha sendo disputado pelo time de aspirantes.

A quantidade de jogadores utilizados pode parecer alta, mas o cenário das trocas mostra que muitas delas foram feitas por ordem médica. A análise feita pelo CORREIO aponta que Geninho manteve uma base após as 10 partidas disputadas e que segue com dúvidas especificamente na lateral direita e meio-campo.

O primeiro time mandado a campo por Geninho este ano, no empate sem gols com o Fortaleza, no Barradão, pela Copa do Nordeste, foi formado por: Martín Rodríguez (Ronaldo), Van, João Victor, Maurício Ramos e Thiago Carleto; Guilherme Rend, Fernando Neto (Romisson) e Gerson Magrão; Alisson Farias, Júnior Viçosa (Ruan Levine) e Léo Ceará. Dos titulares, o único que perdeu a vaga por opção do treinador foi Júnior Viçosa.

O atacante foi titular nas cinco primeiras partidas do Vitória, mas perdeu a posição na 5ª rodada da Copa do Nordeste, quando o Leão venceu o CRB por 2×1, no Barradão, jogo em que Geninho teve a primeira oportunidade de escalar Alisson Farias, Vico e Léo Ceará juntos. Em todos os jogos anteriores, algum deles não estava disponível por suspensão, contusão ou indefinição de contrato, como ocorreu com Léo Ceará na segunda rodada do regional. O trio também atuou junto contra Lagarto, ABC e Ceará. Rodrigo Carioca, Ruan Levine e Felipe Garcia também tiveram oportunidade.

A defesa foi o setor que mais enfrentou problemas de ordens médicas. Em 10 jogos, o gol rubro-negro foi defendido por três jogadores. Titular absoluto na Série B do Campeonato Brasileiro do ano passado, o uruguaio Martín Rodríguez se machucou na estreia e foi substituído por Ronaldo, que também se contundiu após começar com as luvas em sete jogos. Ele passou a vaga para Lucas Arcanjo nos dois últimos jogos comandados por Geninho este ano, contra Ceará e River-PI.

A zaga rubro-negra foi mantida até o oitavo jogo do Vitória, quando o capitão Maurício Ramos se lesionou diante do ABC, na Arena das Dunas, pelo Nordestão. Até então, ele formou dupla com João Victor, único atleta que foi titular nos 10 jogos. Revelado na Toca do Leão, John substituiu Maurício Ramos na ocasião e foi titular no jogo seguinte, na derrota por 1×0 para o Ceará, no primeiro confronto da terceira fase da Copa do Brasil, no estádio Castelão. Na ocasião, ele sentiu câimbra no final do segundo tempo e o também prata da casa Carlos Eduardo ganhou a oportunidade de estrear. Na partida seguinte, no entanto, Geninho fez escolha diferente. O técnico improvisou o volante Jean na zaga, ao lado de João Victor, na goleada por 4×1 contra o River-PI, no Barradão, na sétima rodada do torneio regional. 

Na defesa, a única posição que teve alternância de titularidade por opção técnica foi a lateral direita. Titular nos quatro primeiros jogos do ano, Van viu Jonathan Bocão começar em campo no empate sem gols com o Frei Paulistano, no Barradão, na quarta rodada da Copa do Nordeste. Foi assim também contra ABC e Lagarto, até que ele reassumiu a camisa de titular para enfrentar ABC, Ceará e River-PI. A instabilidade na posição fez a diretoria contratar mais um lateral. Léo assinou contrato pouco antes da suspensão das atividades na Toca do Leão e já está regularizado. 

O começo de temporada do meio-campo rubro-negro foi marcado por contusão, queda de rendimento, testes e afirmações. O técnico Geninho inicialmente apostou no trio com Guilherme Rend, Fernando Neto e Gerson Magrão, mas no quinto jogo do time sacou Magrão e analisou Rodrigo Andrade e Jean. No sétimo, perdeu Fernando Neto, que se machucou. Do trio que começou, o único que se manteve firme neste começo de temporada foi Guilherme Rend. Emprestado ao Vitória no ano passado pelo Jacuipense para disputar o Campeonato Brasileiro de Aspirantes, ele se destacou, renovou contrato e se tornou o primeiro volante absoluto do time. 

Jean, Romisson e Matheus Tenório também foram aproveitados no setor, mas após idas e vindas o meio-campo rubro-negro se reorganizou com Rodrigo Andrade e Gerson Magrão, que acabou ficando apenas duas partidas no banco e voltou a ser peça certa no time. Confira a última escalação do Vitória, na goleada contra o River-PI, no Barradão, pela Copa do Nordeste: Lucas Arcanjo, Van, João Victor, Jean e Thiago Carleto (Rafael Carioca); Guilherme Rend (John), Rodrigo Andrade e Gerson Magrão; Felipe Garcia (Matheus Tenório); Léo Ceará e Alisson. Farias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui