A eliminação do Corinthians para o América-MG nas oitavas da Copa do Brasil, em Minas Gerais, na última quarta-feira, 4, foi polêmica. O Coelho conseguiu o empate em 1 a 1, que garantiu a sua classificação, após um pênalti marcado por Wagner do Nascimento Magalhães – o árbitro anotou a infração após um toque de mão do lateral corintiano Lucas Piton. Através do Twitter, Andrés Sanchez,  mandatário do Alvinegro paulista, detonou a arbitragem e prometeu levar uma reclamação formal à Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

“Não vai ficar barato. Vou à CBF levar o protesto do Corinthians por esse pênalti absurdo e farei questão de ouvir o áudio da conversa do VAR. Arbitragens como essa de ontem não tem cabimento”, escreveu o presidente do Corinthians nas redes sociais, na tarde desta sexta. O Corinthians acabou deixando a competição com o empate devido ao resultado do primeiro jogo. Na partida de ida, na Neo Química Arena, o Timão acabou sendo derrotado por 1 a 0. Agora, a única competição que resta ao time de Vagner Mancini é o Campeonato Brasileiro – atualmente, a equipe é a 11ª colocada.

O presidente Andrés Sanchez quer ouvir o diálogo entre o árbitro de campo e o árbitro de vídeo. A permissão, no entanto, não deve ser autorizada. Isso porque no início do ano, a Fifa emitiu recomendação para que as federações não disponibilizem conversas entre os juízes. Há, contudo, exceções. Essa não é a primeira vez que o árbitro Wagner do Nascimento Magalhães comanda partida polêmica dos alvinegros. Em 2018, na final da Copa do Brasil, ele anulou gol de Pedrinho diante do Cruzeiro. Na ocasião, o juiz entendeu que Jadson teria cometido falta em Dedé e, por isso, o gol perderia sua validade. A CBF ainda não se manifestou sobre o assunto. Nesta quinta, mais duas partidas encerram a fase de oitavas de final da Copa do Brasil. O Palmeiras recebe o Bragantino, enquanto o Grêmio mede forças com o Juventude. A CBF marcou o sorteio dos próximos jogos da competição nesta sexta-feira, às 11h30, na sede da entidade.