A participação de Karol Conká no “BBB 21” foi uma das grandes surpresas da edição e, assim que ela foi anunciada, telespectadores e famosos celebraram sua entrada no reality e declararam torcida. O jogo começou e, em apenas uma semana, tudo mudou. As atitudes da sister começaram a revoltar o público, e o que mais chamou atenção foi a forma como ela passou a tratar Lucas Penteado após se desentender com o ator. Nas redes sociais, o público a acusou de fazer pressão psicológica em Lucas e o caso pode parar na Justiça. “A pressão psicológica ou violência psicológica pode ocorrer de várias formas, nesse caso em específico houve o momento em que a Karol ‘manda’ ele sair da mesa, chama ele de ‘bosta’ e ainda diz para ele não olhar para ela, finalizando com ‘respeita a mamacita’”, explicou o delegado Bruno Lima. O termo “mamacita” já é conhecido por ser usado na música Tombei, uma das mais famosas da cantora. O profissional está em contato com a família de Lucas e contou à Jovem Pan que já deu orientações sobre como o caso pode ser enquadrado em uma ação seja ela criminal ou cível.

O delegado afirma que “as condutas de Karol Conká podem – em tese – serem interpretadas como criminosas, uma vez que atentam contra as honras objetiva (difamação, art. 139, CP) e subjetiva (injúria, art. 140, CP) do participante Lucas Penteado”. Como difamação e injúria são crimes contra a honra, Bruno disse que é necessário que o ofendido preste uma queixa, pois, nesse caso, não cabe uma denúncia do Ministério Público. “Se o ofendido formalizar a queixa contra Karol Conká, ela poderá ser condenada à pena de detenção de três meses a um ano e multa para cada um dos crimes.” Vale ressaltar que depois do Jogo da Discórdia que aconteceu na segunda-feira, 1º, a cantora decidiu mudar sua postura e chegou a pedir desculpas para Lucas, mas isso não necessariamente muda a situação da sister na Justiça.

No caso do crime de difamação, o delegado explica que se Karol formalizar o pedido de desculpas “a punibilidade do crime poderá ser extinta (art. 107, VI c/c art. 143, ambos do Código Penal)”. Por outro lado, o crime de injúria “não admite retratação e, portanto, o pedido de desculpa não tem consequências jurídicas”. Em meio a tantas polêmicas, Bruno falou que decidiu procurar a família de Lucas para prestar apoio, pois acredita que é importante tentar impedir esse tipo de atitude em um programa de entretenimento. “Todos os integrantes da casa são influenciadores da sociedade e, como tal, devem ter responsabilidade em relação às suas ações. Atuar da forma correta é mostrar à sociedade que mesmo no conforto da sua ‘residência’, nas conversas com amigos ou mesmo desconhecidos, precisa haver respeito. É preciso mostrar para a opinião pública que a lei é o único norte da sociedade, e, por fim, demonstrar o caráter pedagógico-punitivo do direito”, pontou Bruno.

Lucas também pode ter problemas na Justiça, já que uma suposta ex-namorada do ator o acusa de agressão. Um Boletim de Ocorrência foi aberto na Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) em Diadema, no ABC paulista. O delegado comenta que isso não muda a situação em relação às atitudes de Karol dentro do “BBB 21”. “As condutas de ambos deverão ser analisadas e individualizadas para, ao final, serem condenados ou absolvidos.”