Os participantes do “BBB 21Nego Di, Karol Conká, Lumena e Projota serão investigados por intolerância religiosa após uma conversa entre o grupo repercutir nas redes sociais. Em nota enviada à Jovem Pan, a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Rio de Janeiro informou que: “a Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) instaurou inquérito para apurar denúncias de intolerância religiosa cometidas por participantes” e que “imagens do programa serão solicitadas para análise”. Na última segunda-feira, 8, os brothers relembraram uma situação em que Lucas, que segue a religião umbanda, citou o orixá Xangô e foi rebatido por Lumena, que seria do candomblé.

“Eu me peguei chamando Xangô, ‘véi’. Eu ‘xangozei’. Cheguei a ‘xangozar’ no quarto”, disse Nego Di. “Você falando é muito engraçado. Ela bem séria: ‘Chamei Xangô’”, disse Karol se referindo à Lumena. A psicóloga riu e relembrou o que disse a Lucas: “Eu xangozei. Eu estou pelo certo com meu orixá, você está pelo errado. Ele está te abandonando”. O termo “xangozei” inventado pelos brothers foi criticado nas redes sociais e visto como desrespeitoso. “Num país em que a intolerância religiosa mata país e mães de santo, adeptos de religiões de matriz africana, presenciamos 4 pessoas negras, uma delas se diz iniciada, fazendo chacota da fé de um ex-participante”, comentou o ator e apresentador Érico Brás. “Lumena, mulher negra de axé, rindo e debochando com seus colegas falando do nome de Xangô na roda, debochando porque Lucas disse que chamou por Xangô e o outro imitando falando ‘xangozei’ e ela aos berros, mulher eu não queria está na sua pele”, comentou uma seguidora no Twitter.