O Santos estava conseguindo um excelente resultado contra o Grêmio, na arena do rival, até os últimos instantes da partida da última quarta-feira, 9, válida pela rodada de ida das quartas de final da Copa Libertadores da América. Já nos acréscimos, no entanto, o árbitro Juan Benitez, com auxílio do VAR, marcou penalidade alegando que a bola pegou no braço de Vinicius Balieiro dentro da área. Na cobrança, Diego Souza empatou o jogo em 1 a 1 e deu números finais ao confronto. No entendimento do comentarista Flavio Prado, o Peixe acabou sendo prejudicado pela arbitragem.

“Não foi pênalti. A bola bate, no máximo, na parte da manga da camisa. Então, na regra, isso não é pênalti. Aqui, na América do Sul, os árbitros não costuma respeitar isso, não. Mas ficou claro que a bola pega na manga, o que não caracteriza pênalti pela regra”, disparou o jornalista do Grupo Jovem Pan.

Logo após o embate, o presidente do Santos, Orlando Rollo, criticou o uso do VAR. “Creio que o resultado de hoje foi excelente, na casa do adversário. Porém, a circunstância do jogo nos leva a achar que o resultado foi ruim. Arbitragem tenebrosa, péssima, ruim. Não digo nem que foi tendenciosa. O arbitro é ruim mesmo, um trapalhão. Ele já teve problema na Libertadores. Vamos reclamar na CBF, na Conmebol. Somos chatos. E a gente reclama mesmo”, disse à Santos TV.  O Santos, agora, pode avançar para a semifinal com um empate sem gols diante do Grêmio, no duelo marcado para a próxima quarta-feira, na Vila Belmiro. Uma igualdade por dois ou mais tentos dá a classificação para a equipe gaúcha.