Orlando Duarte, um dos cronistas esportivos mais renomados do Brasil, morreu na manhã desta terça-feira, 15, aos 88 anos de idade, devido a complicações provocadas pela Covid-19 – ele estava internado há cerca de três semanas. Nascido em Rancharia (SP), o jornalista passou por vários veículos de informação do país, entre eles o Grupo Jovem Pan. Além disso, Orlando cobriu 14 Copas do Mundo e 10 Jogos Olímpicos ao longo de sua carreira. Ele deixa quatro filhos e seis netos.

Orlando começou a sua jornada no O Tempo, passou pela Gazeta Esportiva e trabalhou no Grupo Jovem Pan, Trianon, e na Rádio Bandeirantes, sendo esta última em duas oportunidades. Na televisão, o jornalista foi diretor de esportes da TV Cultura, a partir da sua inauguração em setembro de 1960. Além disso, passou ainda por SBT, Record, Globo e Band. Ex-colega de Orlando Duarte, o narrador Nilson Cesar, do Grupo Jovem Pan, lamentou a notícia. “Morreu nosso irmão , grande amigo e companheiro Orlando Duarte . Isso sim . Nos ensinou muito”, disse o locutor.

Cronista esportivo de qualidade, Orlando Duarte escreveu diversos livros sobre futebol e Olímpiada. O escritor, porém, também foi autor de romances, como “O Homem que volta” e “Os desesperados”. O jornalista estava afastado da profissão desde 2012. No ano passado, sua mulher, Conceição Duarte, informou que o jornalista foi diagnosticado com Alzheimer.