O clima segue tenso no Barcelona. Depois do presidente interino Carlos Tusquets afirmar que teria vendido Messi na última janela de transferências, o treinador Ronald Koeman criticou nesta sexta-feira, 4, a declaração do atual mandatário do clube catalão. No entendimento do técnico catalão, é preciso controlar o ambiente da agremiação, que terá eleições presidenciais em janeiro de 2021 e vive um mau momento no Campeonato Espanhol. “Conhecemos a situação de Messi. Se há uma pessoa que pode decidir seu futuro, esse alguém é Leo. Não estou interessado em comentários de fora, mas se fizermos comentários do tipo dentro do clube, isso não nos ajuda. Não podemos controlar os comentários de fora. Mas por dentro é diferente”, afirmou o treinador. “O episódio do Tusquets pode ser uma opinião dele, mas não acho que seja necessário. Leo tem esta temporada com o Barça e vai decidir o seu futuro. Espero que esteja aqui”, prosseguiu.

Em entrevista coletiva, Koeman também foi perguntado sobre o desejo de Neymar em atuar ao lado de Messi novamente. O treinador não escondeu que gostaria em contar com ambos os craques no clube. Sendo assim, além de garantir a permanência do argentino, a diretoria teria que viabilizar a contratação do atacante do Paris Saint-Germain em 2021. “Como clube, você sempre deve tentar ter os melhores jogadores aqui. Não gosto de falar individualmente. O que estou a dizer é que como clube, como culé (torcedor), como jogador e treinador, sempre quero ter os melhores jogadores do mundo”, declarou.