A cantora Anitta acabou comprando uma briga nas redes sociais, após ficar incomodada com os comentários feitos pelo produtor musical Rick Bonadio, que criticou o fato do funk brasileiro estar presente na premiação do Grammy. A cantora Cardi B surpreendeu ao incluir na performance da música WAP um remix feito pelo DJ Pedro Sampaio. “Ontem no Grammy, a Cardi B mostrou o pior tipo de música produzida no país e a galera está comemorando? Vamos valorizar o que deve ser valorizado! O Brasil tem muita música boa de verdade. Já exportamos Bossa Nova, já exportamos Samba Rock, Jobim, Ben Jor. Até Roberto Carlos. Mas o barulho que fazem por causa de 15 segundos de funk na apresentação da Cardi B me deixa com vergonha. Precisamos exportar música boa e não esse ‘fica de quatro’”, comentou Rick nas redes sociais.

As declarações do produtor musical geraram polêmica e Anitta decidiu rebater: “Tenho uma sugestão top para você também. Escolhe um ritmo brasileiro à sua altura, faz uma música e exporta para o mundo. É ‘facinho’, rápido e de uma hora para outra, claro, não dá para começar com míseros segundos no Grammy. Quando você chegar lá, a gente comemora com você”. A resposta da funkeira não passou despercebida e o nome dela foi parar nos assuntos mais comentados do Twitter. Na manhã desta quinta-feira, 15, Rick decidiu se explicar: “Não tenho nenhuma intenção de criar polêmica muito menos desmerecer o trabalho de ninguém. Espero que evoluam e entendam as críticas. Só aplauso pode ser alienação”.

O produtor, conhecido por revelar a banda Rouge no programa “Popstars”, do SBT, continuou seu discurso: “Eu sinto a necessidade de criticar algumas situações porque vejo uma alienação generalizada. O funk precisa evoluir. Os funkeiros precisam ousar evoluir musicalmente para crescer. Não se pode fazer o mesmo sempre porque isso dá certo. Meu post anterior não teve a intenção destrutiva”. Anitta voltou a responder Rick e criticou os comentários pejorativos que alguns “entendedores de cultura” da época da Bossa Nova costumam fazer sobre o funk.

A discussão não parou por aí e Rick seguiu criticando o gênero musical que levou Anitta ao estrelado. “Não dá para aceitar que sempre a mesma batida com letras de putaria seja algo necessário ou a ‘cultura do país’. De qualquer forma, eu respeito todos do funk por suas batalhas e vitórias. Desculpem se ofendi, nunca é minha intenção”. A poderosa voltou a rebater o produtor: “Mesma batida? Você deve ter parado de pesquisar desde seu último álbum de sucesso. Mesmas letras? Aceito. Porém, infelizmente, cada um canta uma letra compatível com o nível educacional e cultural que lhe é oferecido. Nesse caso, pelo governo brasileiro para com suas comunidades”.

Em seu perfil do Twitter, Anitta ainda desabafou: “É muito necessário resistir a esse tipo de comentário. São de pequenas opiniões assim que as coisas crescem aos poucos e podem virar cruciais no futuro”. Para a artista, muitos cantores de funk que estão começando a carreira perdem oportunidades por causa desse tipo de atitude. “Se essa galera que está começando ousar tentar bater de frente, eles vão ser engolidos pela indústria. Eu sei bem porque eu já tive nessa posição, mas eu sou doida e fui assim mesmo porque para me engolir a boca tem que ser grande e o fôlego maior”, afirmou a artista.