Se há algo que o Brasil domina, é a arte e, sabendo disso, Frederico Gayer Machado de Araujo – entusiasta do cinema e admirador da arte e entretenimento brasileiro – nos trouxe hoje alguns dos filmes que marcaram a história. Quer descobrir quais são? Continue lendo!

Segundo Frederico Gayer Machado de Araujo, o Brasil começou a mostrar seu potencial partindo de poucos anos antes dos anos 2000, trazendo obras bem desenvolvidas nas telas dos cinemas.

“Central do Brasil” (1998)

O primeiro longa que marcou o cinema foi “A Central do Brasil”. Frederico Gayer Machado de Araujo explica que nele somos apresentados a Dora – vivida pela ilustre Fernanda Montenegro -, uma ex-professora que trabalha autonomamente escrevendo cartas na estação de trem para pessoas analfabetas.

Certo dia, o filho de uma de suas clientes acaba se tornando órfão e, sendo a única pessoa ‘próxima’ ao menino, Dora passa por cima de sua relutância e decide levar o garoto até seu pai que, supostamente, está no interior.

Um filme dramático e impecável que trouxe um Globo de Ouro para o cinema brasileiro, além de ganhar também, um Urso de Ouro (festival de Berlim). Frederico Gayer Machado de Araujo comenta que Fernanda Montenegro foi, ainda, indicada ao Oscar que, por mais que não tenha sido ganho, trouxe à atriz um Urso de Prata por sua excepcional atuação.

“O Auto da Compadecida” (2000)

De acordo com Frederico Gayer Machado de Araujo, “O Auto da Compadecida” é uma comédia que traz ao cinema as aventuras de João Grilo e Chicó, que passam por poucas e boas no Nordeste para sobreviver, no entanto, a aparição de Nossa Senhora causa uma reviravolta e tanto na vida dos dois.

Um verdadeiro clássico do cinema brasileiro que ganhou prêmios nas categorias de melhor ator, diretor, roteiro, e melhor lançamento. Frederico Gayer Machado de Araujo comenta que o longa também foi considerado um dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos pelos críticos.

“Tropa de Elite” (2007)

Frederico Gayer Machado de Araujo explica que o longa narrado pelo personagem Capitão Nascimento – vivenciado por Wagner Moura -, trouxe a visão da chefia da tropa de elite do Rio de Janeiro com a missão de apaziguar o Morro do Turano. O filme possui uma temática pesada, com muita violência que leva o telespectador a diversas reflexões.

Sendo mais um clássico brasileiro, Frederico Gayer Machado de Araujo informa que o filme é reconhecido internacionalmente até hoje, além de ter sido responsável por trazer diversos prêmios ao cinema brasileiro.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui