Na segunda-feira, 29, a Índia decidiu por proibir o acesso a 59 aplicativos para smartphone, a maioria de origem chinesa, incluindo TikTok, UC Browser da Alibaba e WeChat da Tencent, citando preocupações de segurança.

Os aplicativos são “prejudiciais à soberania, integridade e defesa da Índia, segurança do Estado e ordem pública”, afirmou o Ministério da Tecnologia da Informação.

A proibição surge após um conflito na fronteira entre os dois países no início de junho, no qual 20 militares indianos morreram.

(Com Reuters)

 

 

 

Continua após a publicidade