Um estudo do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos revelou que o ensino à distância pode ser mais prejudicial ao bem-estar de crianças do que o presencial. De acordo com a pesquisa, pais de jovens que tiveram esse tipo de aula reportaram aumento nos indicadores de riscos na saúde mental de seus filhos.

Quase 25% dos pais cujas crianças receberam ensino à distância relataram piora na saúde emocional de seus filhos durante a pandemia, comparados com 16% dos pais cujos filhos tiveram apenas aulas presenciais. Além disso, eles também relataram que seus filhos se tornaram menos fisicamente ativos, passavam menos tempo fora de casa e com os amigos.

O bem-estar dos pais também foi afetado pelo EAD. De acordo com o estudo, 54% dos adultos cujas crianças tiveram aulas online constataram abalo emocional, contra 38% dos demais. Ademais, eles também relataram maior conflito entre equilibrar trabalho e cuidado aos filhos.