– Renascimento elétrico (foto)
Com a desativação no México, em 2019, da última linha de produção no mundo a ainda fabricar o Fusca (no formato modernoso do Beetle), o icônico Besouro parecia estar finalmente destinado a pegar uma estrada rumo ao museu dos automóveis. Dois anos depois, eis que o modelo ressurge em local e formato surpreendentes. A montadora chinesa Great Wall apresentou em Xangai, na última quarta, 21, uma versão elétrica de um carro que reúne elementos de várias gerações do Volkswagen. Na mistura couberam volante vintage, marcadores digitais e carroceria inspirada no Beetle. Chamado de ORA Punk Cat, o veículo deve começar a ser vendido até o fim deste ano.

- Mercado acelerado
O Fusca parou de ser fabricado no Brasil em 1996, mas ainda faz sucesso no mercado de segunda mão. De acordo com a Fenabrave, a federação das concessionárias, quase 60 000 unidades usadas do VW foram vendidas no país no ano passado.

- Pérola de colecionadores
Depois de sair de linha pela primeira vez, no fim dos anos 80, o Fusca retornou por sugestão de Itamar Franco e teve uma sobrevida de 1993 a 1996. Os carros desse último período são disputados hoje por colecionadores. Em bom estado, alguns modelos alcançam cotações superiores a 100 000 reais.

- Ranking de vendas
Apesar de ter saído de linha em 2003 (considerando-se a configuração original do modelo), o Fusca ainda não come poeira mesmo emparelhado a veículos mais modernos. Com mais de 20 milhões de unidades comercializadas ao longo de sua trajetória, o Besouro continua na relação dos dez automóveis mais vendidos de todos os tempos.

Publicado em VEJA de 28 de abril de 2021, edição nº 2735

Continua após a publicidade